terça-feira, 26 de abril de 2011

Diálogo I


- Me põe no colo?
- Por que eu faria isso?
- Eu estou te pedindo.
- Mas você já está grande o suficiente para...
- Isso não tem nada a ver com tamanho ou idade. Só quero deitar um pouco no seu colo. Deixa?
- (...)
- Ok, esquece.
- Você é um doce. Dá vontade de abraçar.
- (...) Acho que vou indo.
- Claro. Até mais.
- (...)
- (...) Posso só perguntar uma coisa?
- Pode.
- Por que você queria deitar no meu colo?
- Ah, sei lá. Vontade de fechar os olhos por algum tempo.
- Então por que você não vai para casa e dorme na sua cama?
- Porque o calor das suas coxas sempre me aconchegou muito mais. De qualquer forma, já estou indo.
- Ok. (...) Ei! Espera. Deita aqui, eu te aconchego. Cadê você? Volta?

Escuro.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Love Kills

Amores de verdade deixam marcas, de emoção, de incenso, de canivetes, no tronco de uma árvore ou na ponta do meu dedo, quando eu me distraio fazendo um misto quente para você. Amores de verdade são como o nosso, arranhando as paredes do meu coração enquanto você dorme no meu colo durante a exibição d(e um d)o(s) melhor(es) filme(s) do mundo. Amores de verdade acontecem quando você não se importa de ouvir mil vezes que você é bobo. Amores de verdade são percebidos quando conseguimos rir de todos os filmes que vemos juntos (até os de terror). Amores de verdade significam travessuras e risadas em cima de um dever de casa, de um colega de trabalho ou da burocracia. Amores de verdade acontecem quando você confunde minha mão com a sua e tem a impressão de estar usando dois anéis diferentes, quando durmo no seu ombro a caminho do aeroporto ou quando me encosto numa árvore e choramos, juntos, as dores dos planos fracassados. E nos recuperamos, caímos e tentamos tudo de novo, criamos novas expectativas, fazemos novos planos. Vamos nos perder, vamos perder juntos. E confio na sua beleza e serenidade quando você me afirma isso.
E enquanto eu puder me travestir com as suas dores, inseguranças, ciúmes e roupas, continuarei amando.

É assim o amor.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Don't Panic

E eu te amo, por mais que nosso amor seja regido pela nave Coração de Ouro e seu maravilhoso Gerador de Improbabilidade Infinita.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Viagem pelo Corpo

Eu quero a força de um ariano, a calma de um taurino e a poesia de um geminiano. Quero o carinho de um canceriano, a bondade de um leonino e a organização de um virginiano. Quero a justiça de um libriano, o mistério de um escorpiano e a beleza filosófica de um sagitariano. Também não me poderiam faltar o senso de humor capricorniano e a revolução de um aquariano.
Por ser um peixe, adaptável em quaisquer águas, talvez por ser o último dos doze, capaz que eu tenha um pouco disso tudo guardado em mim.
Já a doçura, a criatividade e a carência de um pisciano; ah! Não poderia descrever minha essência de forma mais sincera.